Notícias - 09/07/2021

Serra da Ibiapaba: Comitê define os parâmetros de alocação do açude Jaburu I

O Comitê da Bacia Hidrográfica da Serra da Ibiapaba – CBHSI esteve reunido em sua 14ª Reunião Extraordinária com o intuito de definir os parâmetros de alocação do açude Jaburu I, bem como debater sobre a intervenção e as correções na estrutura do açude e apresentar o balanço da quadra chuvosa de 2021.

A apresentação sobre a alocação do açude Jaburu I (2021/2022) foi realizada por Helder Lucena, Coordenador do Núcleo de Operação da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos – Cogerh de Crateús. De início foi apresentado um breve histórico das alocações, de 2014 a 2021, destacando os anos de 2015 a 2018, nos quais aconteceram reduções na vazão para irrigação. A título de exemplo, em 2017 o açude registrou seu menor volume com apenas 12,6% de sua capacidade.

Em seguida, Lucena expôs a simulação de esvaziamento do açude e atualizou que o açude Jaburu I tem cota máxima de 716,38 m e volume de 141.000.000 m³ representando sua capacidade total. Na data do dia 22 de junho de 2021, o reservatório se encontrava na cota de 711,85 m e volume de 97.264.800 m³, representando 68,98% de sua capacidade.

Assim, com cenário único de liberação, foram apresentadas as seguintes demandas: Cagece: 300L/s, Irrigação: 480L/s, Indústria: 3L/s, Uso Doméstico/Humano: 2L/s, Dessedentação Animal: 0.2L/s, perenização (liberação para o Piauí: 300 L/s) e a liberação emergencial – segurança da infraestrutura hídrica: 865 L/s, totalizando a vazão de 1.950L/s. Os valores foram aprovados por unanimidade pela plenária.

Considerando estes usos de operação pelo reservatório, o projetado é que o açude chegue em 31 de janeiro de 2022 com a cota 705.24 m, atingindo um volume de 50.374.148 m³, que corresponde a 35.72% de sua capacidade.

A reunião contou também com a presença de Mikaelle Duarte, da Gerência de Segurança e Infraestrutura da Cogerh, para atualizar os membros do comitê sobre a intervenção e as correções na estrutura do açude Jaburu I. A última intervenção realizada no local foi a 7ª, e ocorreu em 2019. Na ocasião foi apresentado o cronograma com as ações para 2021.

Uma vez que em 2020 foi detectada uma nova anomalia, Mikaelle relatou que logo após a identificação algumas ações foram implementadas por parte da Cogerh, como: Consultoria Técnica Especializada, Relatório Semanal enviado ao órgão fiscalizador – Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico – ANA; Licitação para serviços de injeção de calda de cimento na fundação da barragem; Finalização do Projeto Executivo para recuperação do vertedouro; além do Plano de Segurança de Barragem – PSB incluindo o Plano de Ação Emergencial – PAE em fase de finalização.

A reunião também foi marcada pela apresentação do balanço da quadra chuvosa de 2021, ministrada pela meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos – Funceme, Meiry Sakamoto, que desde as chuvas da pré-estação Chuvosa, nos meses de dezembro e janeiro, apresentou um desvio negativo no Ceará.

Somando o resultado das precipitações como um todo no período de fevereiro a maio, o obtido a nível estadual foi o desvio negativo de -11,1%, pois de acordo com a climatologia do estado a média para o quadrimestre é de 600,7 mm, enquanto o observado foi de 533,3 mm.

A mesma análise a nível de bacia da Serra da Ibiapaba também ficou abaixo da média e apenas as bacias do Alto Jaguaribe, Médio Jaguaribe e do Salgado ficaram próximas da normal climatológica. Quanto ao comparativo a nível dos municípios que compõem a bacia da Serra da Ibiapaba, apenas o município de Ubajara ficou um pouco acima da normal climatológica. Em resumo, Sakamoto relatou que os resultados e as condições climáticas não foram favoráveis durante esse ano para o Estado, o que já vinha sendo previsto pela Funceme.

Para finalizar, foram repassados alguns informes e discussões sobre a 2ª Reunião do Fórum Cearense de Comitês de Bacias Hidrográficas – Fccbh, sobre a Certificação dos Comitês do Estado do Ceará, do Procomitês e do CBHSI. O Estado do Ceará atingiu 100% das metas referente ao 2° ano de certificação do Estado. Após algumas discussões e encaminhamentos realizados pelo Colegiado, foi realizado o agendamento da Reunião com o Grupo de Capacitação e Comunicação para o Planejamento Estratégico do CBHSI, marcado para o dia 21 de julho.

O evento do dia 23 de junho contou com a participação de 22 instituições, representando 73.33% do Comitê de Bacia Hidrográfica da Serra da Ibiapaba, e 25 membros entre titulares e suplentes, estando representados os setores de usuários, sociedade civil, poder público Municipal, Estadual e Federal. Participaram como convidados: Wilde Cardoso, da ANA; Antônia Lucélia, do Assentamento Valparaíso; Gleciane, da Companhia de Água e Esgoto do Ceará – Cagece de Tianguá; e Sandra Aquino e Virzângela Mendes, da Universidade Federal do Ceará – UFC.

Representando a Cogerh, marcaram presença: Bruno Rebouças, Diretor de Operações; Rodrigo Vasconcelos, Assistente da Diretoria de Operações; e Mateus Perdigão, da Gerência de Gestão de Recursos Hídricos (Gerhi). Da Gerência Regional de Crateús: Rodrigues Júnior, Gerente Regional; Ewerton Torres, Coordenador do Núcleo de Gestão Participativa; e as técnicas Nayara Carvalho e Edna Nascimento.

logo
COGERH – Gerência da Bacia do Parnaíba
Secretaria Executiva do CBH da Serra da Ibiapaba
logo
logo
Rua Dr. Moura Fé, 914. CEP 63.700-000 – Crateús/CE.. (ver mapa)
Fone: (85) 3195-0850
E-mail:
logo
© 2019